Qual o tipo de moto ideal para mim?

By on 4 Dezembro, 2018

Acontece frequentemente conhecidos virem-me perguntar, sabendo da minha experiência de longa data, e estando a pensar comprar uma moto, que moto deveriam comprar. Scooter ou moto? Uma XPTO 600 ou a nova SKX550? Uma naked ou uma carenada? Invariavelmente devolvemos a pergunta, pois não há uma resposta padrão, certamente em termos de segmento/ marca /modelo/ cilindrada. Antes, a escolha da moto é pessoal e prende-se com as circunstâncias do utilizador e com a utilização que ele está a pensar dar-lhe.

Vai andar todos os dias? Ou só aos fins-de-semana? Mora na cidade, ou fora dela? Vai usar a moto para ir para o emprego diariamente? Se sim, quantos Km por dia? 30? 75? 120? Ou só aos fins-de-semana? E nesse caso, para um saltinho à praia ou viagens de 600 Km? Tudo isto tem muita influência no modelos, tipo, segmento, cilindrada a adquirir… É a primeira moto, ou um regresso às duas rodas depois de andar de moto na adolescência? O próprio utente, tem alguma aptidão mecânica e tenciona encarregar-se dos trabalhos mais rotineiros, como olear a corrente, mudar óleos e filtros, etc.? Ou é um novato que nada percebe de mecânica e terá de entregar a manutenção a uma oficina? Neste último caso, que lojas ou concessionários há a pouca distância de casa? Que marca(s) representam?  Já os visitou, para ver como tratam um cliente em perspetiva?

Atendendo a que hoje em dia não há motos más, apenas mais adequadas a esta ou aquela utilização, as respostas a estas perguntas são muito mais materiais para a escolha da moto adequada que considerações como marca, modelo e cor! É uma chatice comprar a moto de sonho e depois ter de fazer uma viagem de 40 Km, com um carro de apoio a reboque, para a deixar para uma revisão. Conversamente, é um erro adquirir uma moto na loja da esquina para descobrir, uns meses depois da compra, que o trabalho de oficina está a cargo de um estagiário inexperiente a quem não confiaríamos mais que mudar pastilhas de travão e mesmo assim sem grande confiança. Um concessionário simpático e prestativo está lá para as pequenas coisas, e ajuda toda a nossa experiência a tornar-se mais agradável, especialmente nos primeiros tempos em que há muitas incógnitas e as respostas parecem confusas…

Depois, a própria dimensão e físico do utente são de grande importância… um homem de 100 Kg e 1,90m nunca vai estar à vontade numa pequena 125, nem um de baixa estatura e 65 Kg numa BMW de seis cilindros, por muito que o aspeto apele aos seus instintos primordiais de macho latino… e estar à vontade na moto, e com a moto, é meio caminho andado para gozarmos a experiência no dia-a-dia. Neste capítulo, uma nota para as senhoras… não se deixem intimidar pelo tamanho e aparente peso da montada desejada. O peso tende a desaparecer em movimento. O que é importante, isso sim, é a altura, a distância do assento ao solo, para colocar os pés bem firmes ao parar. Esta pode quase sempre ser melhorada, baixando a suspensão nalguns casos, ou mesmo mandando retirar uns cm da espuma do banco. 20m m fazem toda a diferença! Alguns modelos também têm manetes ajustáveis para trazer a alavanca mais perto ao alcance de dedos pequenos, e isso é outra consideração a ter em conta…

Por fim, temos de perceber e aceitar que a escolha de uma moto, tal como de um carro, nunca é uma decisão inteiramente racional. Perco conta ao número de amigos com que atravessei o processo descrito acima para chegar à conclusão que ficavam mais bem servidos com uma scooter de 125, só para os ver ir a seguir comprar… Uma 600 Supersport! Como satisfação de utilização vai ser uma das considerações primordiais, ao fim e ao cabo, também não devemos contrariar essas tendências para ficar com uma coisa que não temos prazer de utilizar e acaba a um canto da garagem com os pneus meios vazios…

Outra consideração importante é deixar uma pequena parte do orçamento para o equipamento que fará da utilização um prazer e não um sacrifício… se gastamos cada cêntimo na montada dos nossos sonhos e nem ficamos com dinheiro para umas luvas decentes, o prazer cedo se vai tornar em pesadelo. Nessa nota, fiquem sabendo que a maioria dos comerciantes têm dificuldade em fazer descontos devido a margens relativamente pequenas, mas terão mais flexibilidade em incluir no negócio um capacete, blusão, luvas… não tenham medo de negociar esses aspetos!

Em resumo, a escolha de uma moto é um assunto muito pessoal, mas que pode ser facilitada atendendo aos critérios acima desenvolvidos. Informe-se, estudem as opções, e decidam levando em consideração todos esses aspetos… e boas curvas!

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!