Novo NEXX X-Vilitur

By on 7 Dezembro, 2018

Há algum tempo que estamos convertidos aos aspetos práticos dos capacetes modulares para utilização descomplicada no dia-a-dia. O capacete que utilizávamos já tinha uns anos de uso em cima e estava a pedir reforma, pelo que aproveitámos para o substituir pelo novo Nexx modular X-VILITUR da portuguesa Nexx. Saliento portuguesa porque acho que todos nos devíamos orgulhar de ter uma marca tão inovadora e prestigiada entre os produtos “made in Portugal”. É justamente em termos de inovação que o X-VILITUR se distingue. É incrível o quanto os modulares evoluíram em pouco tempo e a Nexx parece ter estado à espera para corrigir os erros dos outros no seu modelo.

Para já, o aspeto é de luxo, muito sedoso no exterior, discreto em cinza prateado mas com superfícies refletoras para máxima segurança no escuro. A dada altura, a NEXX exagerava no “branding” mas agora a marca já deve estar num estágio em que deixam a qualidade em vez dos gráficos do capacete gritar o seu nome aos quatro ventos. Este é um capacete muito confortável. O forro na zona da queixeira quase dá a volta por baixo, acompanhando as correias e envolvendo desde logo a cara numa forma que é ao mesmo tempo aconchegante e íntima, mas sem impedir a visibilidade periférica, que neste capacete é muito boa, aliás, segundo a NEXX 15% mais ampla que o requisito legal de 130 graus.

O forro é muito macio, como num capacete topo de gama, completamente removível para lavar, claro, e em andamento sentem-se claramente as condutas internas a dar ar fresco ao couro cabeludo, o fluxo do qual pode ser controlado pelas aberturas. O fecho da queixeira é central no lado exterior da frente e requer alguma habituação inicialmente, mas já o botão que opera a viseira interior fumada é muito suave em operação, quer para baixar como para levantar. O recorte que contorna o nariz é um toque estiloso e evita embaciamento, além do capacete estar preparado para receber as viseiras internas Pinlock.

O peso, que nunca é referencial nos modulares por causa do mecanismo de abertura da queixeira, está no entanto dentro da média, situando-se nos 1600 gramas, ajudado pela calota de compósito X-Matrix de fibras multiaxiais com aramidos e reforços de carbono, tipicamente nas zonas da têmpora. Até o fecho micrométrico, tipicamente realizado em plástico, é em aço inox neste capacete, representando maior segurança e durabilidade. Os tamanhos vão de XXS a XXXL, repartidos por três calotas e a dupla homologação, como jet e integral, significa que podemos circular com ele aberto sem problemas. O preço de venda ao público deve situar-se por volta dos 400€, e há uma versão em carbono que deverá custar cerca de mais 150€.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!